Os Reinos, segundo o Espiritismo

Existe vida nos minerais?
As plantas nos entendem?
Animal tem Espírito?
Vivemos nos outros reinos?

Vamos ver o que a Doutrina Espírita nos diz a respeito?

reino-mineralMINERAL
Reino da atração.
NÃO tem vida.

Kardec, no Livro dos Espíritos, Cap. 4 – Princípio Vital, diz: “(…) Os seres inorgânicos são os que não possuem vitalidade nem movimentos próprios, sendo formados apenas pela agregação da matéria: os minerais, a água, o ar etc.

Na questão 66, Kardec pergunta: O princípio vital é o mesmo para todos os seres orgânicos?

R: Sim, modificado segundo as espécies. É ele que lhes dá movimento e atividade e os distingue da matéria inerte; pois o movimento da matéria não é a vida; ela recebe esse movimento, não o produz.

Adiante, encontramos: Podemos fazer a seguinte distinção: 1) os seres inanimados, formados somente de matéria, sem vitalidade nem inteligência: são os corpos brutos; (…)

Três simples questões que sana qualquer dúvida a respeito. Aliás, basta a frase acima “seres inanimados, formados somente de matéria“, para entendermos que Mineral não tem vida.

Os que querem admitir vida nos minerais estão confundindo movimento molecular e atômico, com vida. São duas coisas completamente diferentes, como fica bem claro nos livros da Codificação e nos tratados de Biologia.

E não tendo vida, não pode ter espírito/alma, como podemos conferir na questão 136a: “a vida orgânica pode animar um corpo sem alma, mas a alma não pode habitar um corpo sem vida orgânica“.

O mineral sendo um ser inorgânico, não há a mínima possibilidade de um Espírito habitá-lo.

reino-vegetalVEGETAL
Reino das sensações.
Tem vida, mas não pensa.

L.E., questão 586: As plantas têm consciência de sua existência?

R: Não; elas não pensam, têm apenas a vida orgânica.

Questão 587: As plantas têm sensações? Elas sofrem quando são mutiladas?

R: As plantas recebem impressões físicas que agem sobre a matéria, mas não têm percepções e, portanto, não têm a sensação da dor.

Questão 588: A força que atrai as plantas umas às outras é independente de sua vontade?

R: Sim, uma vez que não pensam. É uma força mecânica da matéria agindo sobre a matéria; elas não poderiam se opor a isso.

Aqui podemos afirmar que vegetal tem vida, mas jamais inteligência, pensamento, sofrimento, ou pior, espírito. É “matéria agindo sobre a matéria“. Nem mesmo o principio inteligente possui. Tem apenas a vida orgânica.

reino-animalANIMAL
Reino dos instintos.
Ganha o Princípio Inteligente. E só.

L.E., questão 592: Se compararmos o homem e os animais do ponto de vista da inteligência, a linha de demarcação parece difícil de estabelecer, porque alguns animais têm, nesse aspecto, uma superioridade notória sobre alguns homens. Essa linha pode ser estabelecida de uma maneira precisa?

R: Sobre esse ponto vossos filósofos não estão de acordo em quase nada: uns querem que o homem seja um animal e outros que o animal seja um homem; todos estão errados. O homem é um ser à parte que desce muito baixo algumas vezes, ou que pode se elevar bem alto. Fisicamente o homem é como os animais, e até menos dotado que muitos deles; a natureza deu aos animais tudo o que o homem é obrigado a inventar com sua inteligência para satisfazer suas necessidades e sua conservação. É verdade que seu corpo se destrói como o dos animais, mas seu Espírito tem uma destinação que somente ele pode compreender, porque apenas o homem é completamente livre. Pobres homens que vos rebaixais além da brutalidade! Não sabeis vos distinguir? Reconhecei o homem pelo sentimento que ele tem da existência de Deus.

Questão 593: Pode-se dizer que os animais agem apenas por instinto?

R: Ainda assim é um sistema. É bem verdade que o instinto domina na maioria dos animais, mas não vedes que muitos agem com uma vontade determinada? É inteligência, porém limitada.

Comentário de Kardec: “Além do instinto, não há como negar a alguns animais atos combinados que expressam uma vontade de agir num sentido determinado e de acordo com as circunstâncias. Há neles uma espécie de inteligência, cujo exercício é mais exclusivamente concentrado sobre os meios de satisfazerem suas necessidades físicas e proverem à sua conservação.

Entre eles, não há nenhuma criação, nenhum melhoramento; qualquer que seja a arte com que executem seus trabalhos, fazem hoje o que faziam antigamente, nem melhor, nem pior, conforme formas e proporções constantes e invariáveis.

O filhote, isolado da sua espécie, não deixa de construir seu ninho com o mesmo modelo sem ter recebido o ensinamento. Se alguns são suscetíveis de uma certa educação, seu desenvolvimento intelectual, sempre restrito a limites estreitos, é motivado pela ação do homem sobre uma natureza flexível, uma vez que não fazem nenhum progresso próprio. Mesmo o que alcançam pela ação do homem é um progresso efêmero e puramente individual, já que o animal, entregue a si mesmo, não tarda a retornar aos limites que a Natureza lhe traçou.”

Percebam que existe instinto de sobrevivência. E nada mais. É o que os espíritos chamaram de “inteligência limitada”, como podemos compreender na questão seguinte.

Questão 595: Os animais têm o livre-arbítrio de seus atos?

R: Eles não são simples máquinas, como se pode supor; mas sua liberdade de ação é limitada às suas necessidades e não se pode comparar à do homem. Sendo muito inferiores ao homem, não têm os mesmos deveres. Sua liberdade é restrita aos atos da vida material.

Aqui podemos ver que essa inteligência do animal é na verdade o instinto de sobrevivência. Ele age por necessidade/instinto e não porque pensou e planejou a ação.

Mas vamos adiante. Reparem na última linha: “liberdade restrita aos atos da vida material“! Esta afirmação dá a entender que na espiritualidade os animais não têm liberdade. O que levou Kardec a formular a seguinte pergunta:

Questão 597: Se os animais têm uma inteligência que lhes dá uma certa liberdade de ação, há neles um princípio independente da matéria?

R: Sim, e que sobrevive ao corpo.

Atenção especial para as próximas questões.

Questão 597a: Esse princípio é uma alma semelhante à do homem?

R: É também uma alma, se quiserdes, depende do sentido que se dá a essa palavra; mas é inferior à do homem. Há entre a alma dos animais e a do homem tanta distância quanto há entre a alma do homem e Deus.

Questão 598: A alma dos animais conserva, após a morte, sua individualidade e a consciência de si mesma?

R: Sua individualidade, sim, mas não a consciência de seu eu. A vida inteligente continua no estado latente.

Kardec explica ‘Estado latente’ no rodapé: neste caso (fig.), oculto, não manifesto. Aguardando o momento propício para vir à luz.

Questão 600: A alma do animal, sobrevivendo ao corpo, estará, depois da morte, na erraticidade, como a do homem?

R: É uma espécie de erraticidade, uma vez que não está mais unida ao corpo, mas não é um Espírito errante. O Espírito errante é um ser que pensa e age de acordo com sua livre vontade; o dos animais não tem a mesma faculdade. A consciência de si mesmo é o que constitui o atributo principal do Espírito (…).

Atentem para o último grifo. O atributo principal do Espírito é a consciência de si mesmo. Como o animal não possui essa consciência, não pode ser classificado como Espírito. Pode-se dizer sim, mas como bem deixa claro os Espíritos: “depende do sentido que se dá a essa palavra“.

Eu acho preferível dizer não, já que muitos dão uma única definição a palavra Espírito. E se assim fosse, Kardec não teria sido coerente quando a definiu, dizendo: “Espírito propriamente dito, é o ser pensante, com livre-arbítrio, com consciência de si e que a tudo sobrevive“.

O animal age por instinto, não tem livre-arbítrio, consciência de si e não sobrevive a tudo. Eles precisam da matéria para agirem (vide questão 595). Como pode ser um espírito?

Mas para elucidar ainda mais, leiamos Kardec: “É nesses seres (os animais) que o princípio inteligente se elabora, se individualiza, pouco a pouco e ensaia para a vida. É, de certa maneira, um trabalho preparatório, como o da germinação, em seguida ao qual o princípio inteligente sofre uma transformação e se torna um espírito“.

Ou seja, se ainda não sofreu a transformação, não pode ser considerado Espírito. Ou será que Kardec errou? Creio que não.

Podemos então concluir que o animal tem vida, princípio inteligente (instinto, inteligência limitada), mas NÃO é Espírito.

Disso tudo, fica clara a resposta para a última questão do artigo:

Vivemos nos outros reinos?

Muitos afirmam que sim, que viemos do mineral, passando pelo vegetal, animal…

A codificação nos mostra que isso não acontece, que a vida não é possível no mineral, por ser inorgânico; que o vegetal tem somente vida orgânica, material; e que o animal tem apenas o princípio inteligente que, em certo momento, sofre uma transformação e se torna um espírito.

Os reinos sempre evoluem e se interligam, um é consequência do outro, no entanto, um nunca viveu no outro.

A questão 591 deixa isso bem claro: “as plantas são sempre plantas, os animais são sempre animais e os homens, sempre homens.

Podemos também verificar no Evangelho Segundo o Espiritismo, em Progressão dos Mundos, texto de Santo Agostinho: “(…) Quem pudesse acompanhar um mundo em suas diferentes fases, desde o instante em que se aglomeraram os primeiros átomos destinados e constituí-lo, vê-lo-ia a percorrer uma escala incessantemente progressiva, mas de degraus imperceptíveis para cada geração, e a oferecer aos seus habitantes uma morada cada vez mais agradável, à medida que eles próprios avançam na senda do progresso. Marcham assim, paralelamente, o progresso do homem, o dos animais, seus auxiliares, o dos vegetais e o da habitação, porquanto nada na Natureza permanece estacionário

 comente, participeCOMENTAR USANDO FACEBOOK




 comente, participeCOMENTAR USANDO WORDPRESS

21 comentários para “Os Reinos, segundo o Espiritismo”

  1. RICARDO VERAS28.03.07 - 16:42
    Foto do autor

    O PRINCÍPIO INTELIGENTE DO ANIMAL PODE TER EVOLUÇÃO BEM MAIOR QUE A ENCONTRADA AQUI NA TERRA, VIDE DESCRIÇÃO SOBRE OS ANIMAIS EM JÚPITER POR BERNARD PALISSY NA REVISTA ESPÍRITA. O ARTIGO DO COMPANHEIRO FOI MUITO ESCLARECEDOR. A DISTÂNCIA ENTRE OS ANIMAIS E O HOMEM É A MESMA DA ENTRE O HOMEM E DEUS. OU SEJA, A EVOLUÇÃO INTEGRAL DE UM PONTO A OUTRO É IMPOSSÍVEL.

  2. Gisele22.08.08 - 17:41
    Foto do autor

    Nossa, que artigo. Escrito de forma simples e bem explicada, usando a própria codificação pra não deixar dúvidas. Eu pensava muito diferente sobre os animais.

    Obrigada!

  3. nadia24.10.08 - 22:30
    Foto do autor

    Queria saber se nos humanos já passamos por esses reinos, fomos mineral, vegetal e animal? estou com essa duvida.
    Obrigada

  4. Marcelo Leite26.10.08 - 00:38
    Foto do autor

    nadia em 24, out. 08 às 22:30 escreveu:

    Queria saber se nos humanos já passamos por esses reinos, fomos mineral, vegetal e animal? estou com essa duvida.
    Obrigada

    A resposta para sua pergunta está no próprio artigo.
    Você não entendeu ou não leu?

    Paz.

  5. Foto do autor

    [...] Infelizmente o que vi hoje no Programa Transição não tem nada de coerente com Allan Kardec… [...]

  6. Gil07.01.09 - 20:19
    Foto do autor

    Fantástico o artigo. Parabéns. Vou imprimir e mostrar pro pessoal do centro que frequento.

    Abraço a todos.

  7. lukas14.01.09 - 18:59
    Foto do autor

    eu queria saber qual saos os reinos da natureza

  8. Paulo Silveira14.01.09 - 22:51
    Foto do autor

    lukas em 14, jan. 09 às 18:59 escreveu:

    eu queria saber qual saos os reinos da natureza

    Dê uma olhada aqui.

  9. Origem do Espírito16.01.09 - 15:17
    Foto do autor

    [...] Diz-se que o Espírito viveu nos minerais, vegetais e animais. O que significa isto? Continue… [...]

  10. heidy21.04.09 - 17:17
    Foto do autor

    Olá…muito bom artigo! O que me deixou uma dúvida é que recentemente li o seguinte parágrafo na Introdução do livro Libertação do Sofrimento, psicografia de Divaldo Franco pelo Espírito de Joanna de Ângelis, com data de 24 de Julho de 2008: ” …vivenciando as as diferentes fases mineral, vegetal, animal, culminando no estágio hominal, a fim de rumar para outras superiores categorias como anjo, arcanjo, potestade…”. Dada a confiabilidade de Divaldo e do Espírito de Joanna de Ângelis no meio espírita nacional e internacional, fiquei realmente sem saber o quê pensar. Espero q vc me entenda.Peço sua orientação nessa questão. Desde já, muito obrigada. Abraços fraternos.

  11. Marcelo Leite22.04.09 - 08:00
    Foto do autor

    Olá Heidy. Leia este artigo, vai compreender melhor…

    Paz.

  12. Joao22.04.09 - 10:26
    Foto do autor

    Esta é a visao do autor. Ele cita a codificacao, mas esqueceu de colocar os trechos da gênese que abrem margens à visao em que o princípio inteligente estagia sim nos reinos primitivos até ganhar a consciência no reino hominal. Além da codificacao, temos pesquisadores como Léon Dennis, Gabriel Dellane ou Ernesto Bozzano – que trazem livros em que deixam clara uma posicao ligada à evolucao anímica. Sendo o Dellane, inclusive contemporâneo e amigo de Kardec ( Ou seja, no mínimo Kardec conhecia a visao do Dellane). Além desses autores, vemos na Bibliografia trazida por Chico Xavier, com autores espirituais como Andre Luis ou a Joanna de Angelis com o Divaldo Franco também apoiando a tese da Evolucao Anímica. Pessoalmente, tenho a visao que se Deus criasse criaturas apenas para servir outras, com o intuíto apenas de servirem de alimento, diversao ou escravas e sem uma finalidade maior para seus sofrimentos.. bem, essa nao condiz com a imagem de um Deus de misericóridia. Entao, esta pode ser uma tese levantada pelo autor e que muitos a seguem. Mas existe uma outra visao, acho interessante deixar também claro.

  13. Heidy22.04.09 - 22:47
    Foto do autor

    Olá Marcelo. Nossa!!!Muito obrigada pela indicação do artigo. Agora sim, eu entendi. Meus sinceros agradecimentos pela sua paciência e orientação. Muita paz!

  14. Marcella03.05.09 - 15:06
    Foto do autor

    Boa tarde Marcelo, sendo bem direta eu li o seu texto e fiquei bem confusa, a primeira vista não concordo com sua tese, pois seguindo este raciocínio poderíamos muito bem cogitar a existência de seres especiais como Anjos e Arcanjos na concepção de algumas religiões, cujo desempenham papéis bem distintos e exclusivos na criação, o que a meu ver não condiz com a justiça divina colocando todos os serem em igualdade perante a Divindade. Não sei se a minha interpretaçõa de seu texto foi correta e eu gostaria que me esclarecesse melhor.

  15. Vitor14.05.09 - 10:11
    Foto do autor

    Devemos nos lembrar que o principio inteligente foi criado simples e ignorante. Para chegar à fase hominal(nós) foi preciso que esse princípio passasse por todos os reinos. Mineral… milhares de séculos para “aprender” a aglutinar moléculas, Vegetal… milhares de séculos “aprendendo” a manipular o principio vital… Animal… milhares de séculos formando inteligência… Hominal (ser a parte). Lembremos também que todo esse período serviu para formar o corpo espiritual que conhecemos…

    A ciência também nos informa outros reinos (se não me engano 6). Do primeiro reino até chegar a fase de humanização… quase 2 bilhões de anos(li isso em algum livro de André Luiz). Da fase de humanização até ser um Espírito puro… depende de cada um… Paz a todos…

  16. Gil15.05.09 - 05:01
    Foto do autor

    Sintetizou muito bem Vitor. Parabéns.

  17. Foto do autor

    Não é verdade que a Doutrina nega que o homem advém do mesmo princípio inteligente que progride no animal. Ainda mais, a Doutrina assevera que o princípio inteligente entra na fase de HUMANIZAÇÃO. Homens são sempre homens em um mesmo orbe; animais são sempre animais em um mesmo orbe. Mas a evolução é a lei geral que amolda o princípio inteligente que, depois da humanização, torna-se o Espírito que, encarnado (já num outro mundo), faz-se homem.

    Veja-se em O Livro dos Espíritos:

    “607. Dissestes (190) que o estado da alma do homem, na sua origem, corresponde ao estado da infância na vida corporal, que sua inteligência apenas desabrocha e se ensaia para a vida. Onde passa o Espírito essa primeira fase do seu desenvolvimento?
    “Numa série de existências que precedem o período a que chamais Humanidade.”

    a) – Parece que, assim, se pode considerar a alma como tendo sido o princípio inteligente dos seres inferiores da criação, não?
    “Já não dissemos que todo em a Natureza se encadeia e tende para a unidade? Nesses seres, cuja totalidade estais longe de conhecer, é que o princípio inteligente se elabora, se individualiza pouco a pouco e se ensaia para a vida, conforme acabamos de dizer. É, de certo modo, um trabalho preparatório, como o da germinação, por efeito do qual o princípio inteligente sofre uma transformação e se torna Espírito. Entra então no período da humanização, começando a ter consciência do seu futuro, capacidade de distinguir o bem do mal e a responsabilidade dos seus atos. Assim, à fase da infância se segue a da adolescência, vindo depois a da juventude e da madureza. Nessa origem, coisa alguma há de humilhante para o homem. Sentir-se-ão humilhados os grandes gênios por terem sido fetos informes nas entranhas que os geraram? Se alguma coisa há que lhe seja humilhante, é a sua inferioridade perante Deus e sua impotência para lhe sondar a profundeza dos desígnios e para apreciar a sabedoria das leis que regem a harmonia do Universo. Reconhecei a grandeza de Deus nessa admirável harmonia, mediante a qual tudo é solidário na Natureza. Acreditar que Deus haja feito, seja o que for, sem um fim, e criado seres inteligentes sem futuro, fora blasfemar da Sua bondade, que se estende por sobre todas as suas criaturas.”

  18. Ferreira Filho, João09.09.10 - 17:43
    Foto do autor

    Ótimo artigo, Os Reinos, segundo o Espiritísmo.

    “Espírito propriamente dito, é o ser pensante, com livre-arbítrio, com consciência de si e que a tudo sobrevive“. (segundo Kardec).

    Gostaria de saber! Como o espírito pode ser um ser pensante se ele não tem cérebro?

  19. Oliva Prado24.09.10 - 08:04
    Foto do autor

    Bom Dia a todos e obrigado pelo exclarecimento que me parece bastante satisfatório.
    E parece-me interessante acrescentar que esta famosa expressão “dorme na pedra, sonha no vegetal agita-se no animal e desperta no homem”, possa ser uma chamada de atenção ao que desperta no homem e como? a sua consciência imortal, a pineal, a sua realidade onirica (o sono) a satisfação das necesidades por forma a se integrar numa realidade mais cósmica? mais satisfatórias da sua nova consciência, aquela para que estamos a dspertar.?..Respostas que o tempo trará concerteza.

  20. Ferreira Filho, João24.09.10 - 09:46
    Foto do autor

    Esse negócio de espirito é uma coisa esquisita! Já li toda obra de Kardek, dizeres muito lindos, assim como os dizeres do “Chico Xavier”, em fim são vários autores que falam do espiritualismo. Tudo muito bonito e emocionante. Porém eles enrolam, enrolam e não dizem nada. A humanidade já está esclarecida para alguém dizer: O espírito é isto… e acabou. Os escritores, falam, falam, (escrevem) mas só enrolam, enrolam.
    Não explicam o que na verdade é o espírito, sua origem, sua composição, se são material, se são imaterial, como é possível pensarem, se não possuem célebro? São perguntas simples que até hoje, ninguem respondeu. Enrolam, mas não explicam. O que eu acho é que na verdade eles, espíritos não exitem, o que existe são faixas vibratórias do célebro humano, ainda não descobertas pela ciência. Jogar a culpa nas costas dos espíritos é muito mais comodo, eles não reclamam de nada. O ser humano não quer admitir que é ele mesmo com seus pensamentos que provocam tais fenomenos espírituais. O resto é conversa mole para boi dormir. Quem por acaso discodar dos dizeres acima que prove que os tais espíritos exitem. Até hoje ninguem conseguir provar absolutamente nada. Algumas religiões tradicional já o teriam conseguido provar, por exemplo o Vaticano um Estado milionário e culto, alguns países que adotam o alcorão, que tem mais seguidores do que os católicos, etc. etc. Repito, desde os primórdios das civilizações ninguém provou nada. Agora, eu não conheço Deus, mas conheço suas obras e Deus não escondeu nada de ninguém, tudo esta a mostra. Pergunta-se por que Deus iria esconder os ditos espíritos em outra dimensão? Os espíritos são criação da mente humana, que por sinal quase sempre é falha. Como Deus iria dar, como dizem, dar tanta força aos espíritos ao ponto de eles prejudicarem os seres vivos. Para eles espíritos seria muito comodo: não pagam impostos, conta de agua, conta de luz, não respiram, não precisam fazer supermercado, não tem responsabilidade alguma. Assim, seria muito fácil prejudicar os vivos, que não podem defenderem-se, deles epíritos. A troca de que? Deus iria dar tanto poder a esses “panacas” que já morreram, para prejudicar quem esta vívo. Deus não comete injustiças. Tudo na natureza é obra de Deus, por exemplo o Planeta Terra, uma enorme nave no espaço que se locomove e não tem “porcaria de motor algum”, faz sua trajetória no sistema solar, que faze sua trajetória em nossa galaxia. Tudo funciona sem motor. Se Deus não escondeu nada de ninguém, por quê, iria esconder o dito mundo da espiritualidade? Essa é minha humilde opinião. Tenho dito.

  21. Foto do autor

    Ferreira Filho, João em 09, set. 10 às 17:43 escreveu:

    Ótimo artigo, Os Reinos, segundo o Espiritísmo.

    “Espírito propriamente dito, é o ser pensante, com livre-arbítrio, com consciência de si e que a tudo sobrevive“. (segundo Kardec).

    Gostaria de saber! Como o espírito pode ser um ser pensante se ele não tem cérebro?

    O homem só tem um cérebro físico porque há uma matriz etérica correspondente. Aliás, o cérebro físico foi uma das maiores conquistas porquanto é o instrumento que permite ao Espírito experimentar o ponto máximo de individualidade: a restrição absoluta da matéria. O Livro dos Espíritos ensina que somente através de órgãos materiais o Espírito pode manifestar inteligência. Está lá.

  22. Foto do autor

    [...] também: Os Reinos, segundo o Espiritismo. [...]

  23. Foto do autor

    [...] quero entrar em detalhes agora, mas convido todos os leitores a lerem o artigo Os Reinos, segundo o Espiritismo e tirarem suas [...]




 Aprenda a colocar sua foto nos comentários

NÃO SERÃO ACEITAS MENSAGENS:

Com conteúdo difamatório, racista ou de incitação à violência.
Com linguagem grosseira, obscena ou pornográfica.
Anônimas ou assinadas com email falso.